Tragédias

Não é todo dia que surge um novo jeito de fazer as coisas. Às vezes, até velhas ações ganham novos sentidos, dependendo de quem as executa. Andar para trás, por exemplo, pode se tornar uma coisa completamente diferente, muito além do significado padrão. Nuances que transformam fatos corriqueiros em novidades, e seus autores em lendas.

Não é todo dia que escândalos dominam o noticiário sobre alguém. Que acusações nunca comprovadas viram verdades universais. Que boatos se tornam realidade, ou que o preconceito emerge em todos os cantos. Às vezes, nada daquilo resta ao fim de uma hora, de um dia, da semana, do mês. Da vida. Em outras vezes, as histórias sobrevivem, porque as pessoas erram. E erram porque são humanos, e devem ser lembrados como tal, e julgados como tal, antes de qualquer coisa.

Não é todo dia que alguém muda de cara, com medo do passado. E cria uma outra identidade, que tenta se distanciar o máximo que pode do que já foi, como se tudo que passou fosse bobagem, e não fizesse parte do agora. E muda o rosto, o nome, o jeito, mas muda só na aparência, porque continua igual por trás da máscara.

Não é todo dia que alguém considerado mestre no que faz sucumbe ao peso da fama, da exposição, não interessa o motivo. Que faz bobagem em frente às câmeras e ao mundo, mas não parece se arrepender. E busca ajuda de quem apoia incondicionalmente, com uma fé cega, quase fanática. As lendas sabem que são forjadas nesse apoio, e que nele podem confiar.

Não é todo dia que testemunhamos uma era cair junto com algo que deixou de ser o que originalmente fora e virou um conceito universal. Por isso, nesses dias, devemos nos calar e constatar a realidade, e aceitá-la, porque somos testemunhas da mudança. E devemos lamentar por ela, porque as coisas nunca mais serão as mesmas, mas aceitar que o futuro pode, sim, reservar boas surpresas.

Não é todo dia que tentamos homenagear um rei do pop que partiu, e percebemos que tudo aquilo que escrevemos também vale para constatar a tragédia do nosso parlamento.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Crônicas do Opinioso

Uma resposta para “Tragédias

  1. Foi-se meu idolo pre-adolescente.

    E eu não to acreditando em tanta merda que o Lula esta se metendo e falado so pra salvar o rabo do Sarney e da base aliada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s