Teoria dos guarda-chuvas

Peço desculpas aos honoráveis leitores (curioso, devo ser o primeiro não-personagem de filme sobre o Japão a usar a palavra honorável). Estive com este texto praticamente pronto na cabeça por dois dias, mas o trabalho e a vodca  – não necessariamente nessa ordem – andaram tomando o meu tempo. Assim, finalmente consegui um intervalo para colocar mais uma das minhas milaborantes idéias para stand-up comedy. E lembrem-se: criticar de forma humilhante é mais divertido quando fica registrado nos comentários para todo mundo!

Teoria dos guarda-chuvas

Nunca encontrei ninguém que pudesse definir satisfatoriamente o conceito de sorte. Como eu classifico alguém como sortudo? Meu padrão é entender que sortudo é alguém que consegue o que quer mesmo que não tenha competência para aquilo. Pode parecer uma concepção pessimista e crítica, mas pelo menos explica algumas coisas, como quando alguém fala que o Lula é um presidente de sorte.

O negócio é que banalizaram o termo. Ninguém sabe o que é, mas já até virou aplicativo do orkut, por exemplo. Aliás, aquilo devia ter outro nome, sei lá, “auto-ajuda do orkut”. Nunca vi uma mensagem ruim, é sempre algo como “você terá uma velhice saudável com riqueza material”. É como se fosse uma cartomante, que só falasse o que eu quero ouvir. Bola de cristal do orkut seria outro bom nome. “Vejo em seu caminho uma traição… A sua namorada está te enganando com seu melhor amigo. Confira agora no scrapbook dela!”

Por isso criei uma teoria sobre o assunto. Quantas pessoas aqui já perderam um guarda-chuva? Acho que todo mundo. Quantas já acharam um? E eu não estou nem falando do próprio não! Eu não conheço ninguém. Ninguém! Nunca um amigo chegou feliz e falou “Olha só, achei esse guarda-chuva na rua!”. Por isso eu passei a definir como sortudo um cara que nunca perdeu um guarda-chuva, ou se perdeu achou o próprio e mais dois. É talento desperdiçado, devia estar em um cassino, jogando na roleta, sei lá.

É claro que quando eu falo de encontrar guarda-chuvas não conta roubar, né? É horrível contar vantagem para os amiguinhos de que não vai molhar e perceber tarde demais que sumiu a parada. Aí rola aquela coisa humilhante de pedir carona e só conseguir com aquele cara tão chato que você prefere ir na chuva mesmo. Eu já fui vítima disso umas dez vezes na vida inteira, só na faculdade me roubaram uns cinco guarda-chuvas. Era como se o Pinguim do Batman estudasse comigo. E estivesse ficando sem matéria-prima.

O curioso é que normalmente a gente perde coisa pequena, como a chave de casa, ou que a gente não dá muita importância, como a chave da casa da sogra. Guarda-chuva não é nenhum dos dois, é um trambolho desse tamanho! Eu nem considero “sombrinha”, que é uma aberração e não serve para porcaria nenhuma. Aquilo não cobre nem a cabeça. E como é que a gente não percebe que esqueceu o guarda-chuva? Chego seco, sai e se molha todo e nem percebe que tem alguma coisa diferente…

A dúvida que fica também é sobre onde vão parar todos os guarda-chuvas perdidos. A minha impressão é de que existe uma Mary Poppins da vida real que vaga pelas ruas pegando guarda-chuvas desgarrados e vai embora voando com eles. Ou talvez guarda-chuvas sejam criação dos mesmos alienígenas que criaram as canetas BIC, que também sempre desaparecem. Eles devem voltar juntos para a nave depois de algum tempo coletando informações. “Meu antigo dono mora na rua X, é gay e me usou para coisas inomináveis”. Pensando bem, isso talvez explicasse porque eles somem tanto…

Anúncios

3 Comentários

Arquivado em Idéias para Stand Up

3 Respostas para “Teoria dos guarda-chuvas

  1. “(…) sortudo é alguém que consegue o que quer mesmo que não tenha competência para aquilo.”

    É a melhor definição de “sortudo” que li.

  2. hauhauahuahua

    nunca tinha pensado nos guarda-chuvas… Talvez eles ejam igual balões…

    Ficou divertido o texto! ^^

  3. Na verdade existe outra teoria das canetas BIC. Elas não somem, elas aparecem. Quantas canetas BIC você já teve? E quantas você comprou? Canetas BIC são parte do projeto Echelon de espionagem mundial, e aquele e.t.zinho com capacete no emblema da caneta não me deixa mentir.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s