Destruindo Infâncias

Mais um texto pensado originalmente para stand-up, pessoal.

Destruindo Infâncias

Volta e meia eu me pego pensando em como consegui crescer normal. Ou “normal”, como preferir. Considerando as coisas que me contavam, como canções de ninar e contos de fadas, era para eu ser um psicopata, daqueles que desenham pokémons na parede com sangue de porco. Ou um cético radical, porque se a gente raciocinasse um pouquinho mais veria como é difícil acreditar no que a gente ouvia.

Para ficar em um só exemplo, penso na Branca de Neve. Como é que acreditamos naquilo? A história começa com um rei e sua filha. Filha de rei, vamos concordar, deve ser bem patricinha, né? Tipo uma Paris Hilton. “Papai tem um castelo com um monte de carruagens na garagem, sabia? Ele me dá laptop, me dá Iphone…” A guria não devia sair das boates do reino. Daí um dia a mãe dela morre (provavelmente de desgosto), e o pai se arranja com uma dessas maria-trono que vivem por aí.

É claro que ia dar merda isso. Branca de Neve (conhecida no MSN como XxSnowWhitexX) era filhinha de papai, portanto bonitinha e bem cuidada. A madrasta devia ser daquelas que estava na batalha há muito tempo, tentando arrumar um otário com uma chave de perna. O normal seria casar, divorciar dali um ano e levar metade do reino além de um cocheiro bonitão. Não. Como uma boa personagem de conto de fadas, a madrasta resolve dar cabo da enteada.

Pensem comigo: Branca de Neve era da balada (aliás, pelo apelido, devia ser inclusive adepta do pó), jeitosinha, cheirosinha. Devia conhecer técnicas de sedução. Que tipo de vilã imbecil manda um caçador bruto matar uma menina dessas? O cara devia se resolver só com bicho, ficou tentado. Deve ter rolado um sexo selvagem (afinal de contas, eles estavam no mato – ahn, ahn, sacou o trocadilho?) e depois a menina ameaçou. “Sua única opção é me deixar fugir. Se me matar o CSI vai achar meu corpo e vai presumir que é estupro, você vai ver!”. Ou então ela simplesmente fugiu enquanto ele dormia, como homem faz.

Perdida na floresta, toda picada (sem trocadilho) de mosquito, cabelo sujo, celular sem bateria, o que ela acha? Uma linda casinha, com sete caminhas, sete pratinhos com comida… Qual é! Era uma república de anões! Que tipo de república de sete homens solteiros teria caminhas arrumadinhas? Pratos limpos? Aroma de lavanda? Pára, gente. Os caras chegavam da mina suados, deviam mandar na cerveja e talvez até rolassem algumas relações homoeróticas bêbadas. Querem me fazer acreditar que os caras acolheram gentilmente a princesa? Escrava sexual de cama e cozinha, isso sim.

Para completar, a madrasta má descobre que a menina está viva. Ao invés de mandar uma matadora não-lésbica resolver, o que ela faz? Vai ela mesma. Disfarçada de bruxa má. Com uma maçã envenenada. Maçã envenenada! Se eu estou puto com alguém e o quero morto, o que eu uso? Uma fruta com problema? Claro que não! Uma espingarda. Uma granada. Ela é rainha, gente, compra dinamite e explode a casinha, oras. E ainda usa um veneno ridículo, que não mata, e sim faz dormir. Maçã com calmante. Rainha malvada com método emo de assassinato é dose.

A história ainda acaba com um princípe encantado. O cara do beijo mágico. Beijou, passou. Será que ele cura DST também? Um selinho e pronto, tchau gonorréia! O que seria bem útil, já que a namorada passou algum tempo morando com homens pouco higiênicos. E o engraçado é que as histórias sempre acabavam aí, no final feliz do juntos para sempre. Mas isso eu até entendo. Afinal, ia ser complicado explicar para as crianças que o casamento dos dois naufragou depois de um ano porque Branca de Neve viciou em fetiches sexuais grupais…

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Idéias para Stand Up

2 Respostas para “Destruindo Infâncias

  1. hummm

    Sem querer ser chata, mas já sendo, esse texto ficou um pouco fraquinho! XD

    Rammstein destruiu mais a Branca de Neve hein?!

    Mas contos de fada são todos bizarros msm… O do Barba Azul é o mais trevoso! huhu

  2. UHhuhu… na ultima noite que eu tava no Rio, fui a um bar com Stand Up Comedy, um grupo chamado Louco é Pouco. Até que são legaizinhos, mas nada lá essas coisas. O bacana é que eles levam convidados “amadores” para participar do show.

    ;D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s